Um blog escrito por três mulheres, funciona como espaço para catarse, debate e exposição de pensamentos soltos.

.posts recentes

. Pó vivo!

. As duas Casuarinas - Cont...

. As duas casuarinas

. Isso não importa

. Profecia Familiar - Bem q...

. Noticia de ultima hora - ...

. Tai

. Romantismo masculino/Toda...

. Ser inebriante portuga

. Quem tem uma Tia assim nã...

.arquivos

. Maio 2011

. Fevereiro 2011

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Julho 2006

Quinta-feira, 10 de Janeiro de 2008

Copperfield vs Dickens revisitado

Há quem defenda que o namoro, sendo normalmente a fase que precede um compromisso mais sério, é também aquela em começamos a conhecer melhor a pessoa por quem nos enamoramos, uma espécie de estágio, mas que é só com o passo decisivo do casamento ou da união de facto que o total conhecimento do outro acontece... permitam-me que discorde...

Na realidade a melhor forma de conhecermos o outro é... separarmo-nos dele...é isso mesmo... senão vejamos, é a partir desse momento que as pessoas se revelam e aí podemos ter uma de duas situações (as mais comuns):

1 - Após o rompimento, descobrimos que aquele que se transformou entretanto no nosso ex-qualquer coisa, tem qualidades de mágico... agora está aqui... agora já não está... artes mágicas entusiásticamente aplaudidas por quem assiste a um tão brilhante espectáculo, e a esta altura, com o tão desejado final...

2 - A segunda situação, é descobrirmos de repente que aquela pessoa que pensavamos conhecer tão bem, detém as qualidades que normalmente se atribuem aos espectros, ou seja, viram verdadeiros fantasmas e ainda por cima em triplicado, à boa maneira de Dickens. Transformam-se no fantasma do passado, presente e futuro, mas tudo concentrado numa só pessoa... é verdade... aparecem no presente, para nos lembrarem do passado e nos dizerem que vão continuar por perto no futuro...uuuhhhrrrrrr... arrepiante, não????

 

Ana

 

publicado por mulheresforadehoras às 15:30
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Maio 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.links

.Contador

Condos
Cell Phone Family Plans
blogs SAPO

.subscrever feeds