Um blog escrito por três mulheres, funciona como espaço para catarse, debate e exposição de pensamentos soltos.

.posts recentes

. Pó vivo!

. As duas Casuarinas - Cont...

. As duas casuarinas

. Isso não importa

. Profecia Familiar - Bem q...

. Noticia de ultima hora - ...

. Tai

. Romantismo masculino/Toda...

. Ser inebriante portuga

. Quem tem uma Tia assim nã...

.arquivos

. Maio 2011

. Fevereiro 2011

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Julho 2006

Sábado, 11 de Outubro de 2008

Fluir

 

A proposta pode ser tola, mas toma chá verde com hortelã, tem algo de subversivo, a folha é rugosa e pica levemente, não é um chá qualquer, possui um ritual próprio, tempos de fervura, e o ruído do gelo em estalidos quebradiços torna o momento quase místico. Exige portanto conhecimentos profundos, passados de forma ancestral, não sei se sabes é a bebida dos anarquistas (acabei de inventar agora, mas não abdico desta nova certeza). E dorme, a noite suaviza tudo, a escuridão torna as coisas um pouco mais irreais.

O dia revela, desvenda, descobre, nada pode ser dissimulado.

O carro, não ligues, as farpelas por passar deixa ficar, esse crescimento estilo cogumelos da montanha de roupa parece saudável. Calças sem bainha também não são assuntos prementes, aspirar da casa fica para amanhã. Toca a descansar…deita a cabeça numa almofada branca imaculada, as vermelhas ferrugem tem passado e tu precisas de um sono leve, daqueles que lavam a alma e enredam novos começos. Apaga a luz, que fique escuro, como se fosse noite serrada e sonha que és um pisco, se não conseguires pensa numa alga embalada pelas correntes profundas do oceano. Apaga-te, e deixa-te fluir.

 

Maria João

 

publicado por mulheresforadehoras às 22:20
link do post | comentar | favorito
|
3 comentários:
De Anónimo a 15 de Outubro de 2008 às 18:43
Você está a escrever cada vez melhor.

V.
De mulheresforadehoras a 15 de Outubro de 2008 às 21:06
Obrigada V., exagera por simpatia e delicadeza, escrevo umas coisitas sem valor porque preciso de o fazer...é catartico....limpa-me. No fundo faz o mesmo efeito do que os gatos quando lambem o pelo. Obrigada e beijos pelo toque positivo
De mulheresforadehoras a 15 de Outubro de 2008 às 22:06
Von

Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Maio 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.links

.Contador

Condos
Cell Phone Family Plans
blogs SAPO

.subscrever feeds