Um blog escrito por três mulheres, funciona como espaço para catarse, debate e exposição de pensamentos soltos.

.posts recentes

. Pó vivo!

. As duas Casuarinas - Cont...

. As duas casuarinas

. Isso não importa

. Profecia Familiar - Bem q...

. Noticia de ultima hora - ...

. Tai

. Romantismo masculino/Toda...

. Ser inebriante portuga

. Quem tem uma Tia assim nã...

.arquivos

. Maio 2011

. Fevereiro 2011

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Julho 2006

Segunda-feira, 4 de Dezembro de 2006

Eva versus Lilith - Overdose de conhecimentos ancestrais

Considerar um “fortíssimo marco simbólico” o casamento é de uma inocência constrangedora, em Portugal 2004 realizaram-se 23348 divórcios (tanto de mulheres como homens, aqui estamos empatados) dos quais entusiasticamente dei o meu humilde contributo, o meu foi o numero 233 o do meu ex. o 234 (ele é mais lerdo). De acordo com um estudo idiota feito pelos Americanos (credibilidade duvidosa) 75% dos casamentos dura apenas 1 ou 2 anitos (1 anito e meio para ser mais cientifica com uma margem de erro de xptoz e um desvio padrão de trigo limpo farinha amparo).

Quanto às razões desse somatório de divórcios tenho a minha teoria: Creio que as mulheres pedem o divórcio por causa egoísmo, despreocupação e a nulidade dos maridos, o que na realidade é mato e poucas são as excepções.

O problema é ancestral! Eva só ouviu a serpente e caiu na tentação porque Adão era um marido desatento que não dava resposta as necessidades da pobre. A triste por não ter mais com que ocupar o seu tempo acabou por trincar a maça para melhor trincar o homem e o precipitar com ela para fora do paraíso terrestre (é bem feita, toma toma...). Sim, porque convenhamos que esse paraíso devia ser um autentico tédio, Adão à exigir as refeições a tempo e a horas, barrigudo refastelado na sombra da melhor bananeira resmungando até à exaustão, um estafermo, completamente e absolutamente obcecado com o seu umbigo, atirando-lhe à cara ade eterno que ela lhe tinha custado uma das suas costelas e com saudades da fogosa Lilith, sim que essa é que teve juízo e o mandou atempadamente para as malvas (um exemplo para todas as mulheres).

Bem não vós atormento mais, vou abrindo os vossos horizontes devagar para não terem uma overdose de conhecimentos ancestrais, segredos sim segredos!

 Maria João F.

 

publicado por mulheresforadehoras às 10:01
link do post | comentar | favorito
1 comentário:
De The Economist a 4 de Dezembro de 2006 às 12:33
O casamento é como tudo na vida, ou resulta ou não resulta.

Talvez a razão para tanto divórcio seja o facto de as pessoas casarem por que têm de casar. Então quando se tem já 34 anos e se é solteiro, a pergunta inevitável surge do alto das certezas absolutas das normas sociais: então, com essa idade ainda é solteiro?

É horrível. E depois, nos olhos dos detentores das certezas absolutas está aquele espírito mesquinho em total especulação: ou é gay, ou só gosta de comer mulheres umas atrás das outras, ou então é um estafermo com elas.

Mas o mais engraçado é que, se responder que sou divorciado aos 34 anos todas a gente acha normal.

Isto é apenas o sintoma do facto de as pessoas casarem por terem de casar. Muitos homens querem alguém que lhes cosa as meias e lhes aqueça as refeições e elas querem casar-se por que têm medo do rótulo de encalhadas.

É absurdo. O casamento deve ser apenas uma opção de vida como qualquer outra. As pessoas têm o direito de ser felizes como querem e entendem sem terem de sofrer o estigma social.

E além do mais,algumas das pessoas mais felizes que eu conheço são solteiras e outras do mais infeliz que há são casadas.

As pessoas têm o direito de ser livres. A liberdade individual é o nosso bem mais precioso que não deve vergar sob o peso da instituição casamento quando não se acredita nela.

Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Maio 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds