Um blog escrito por três mulheres, funciona como espaço para catarse, debate e exposição de pensamentos soltos.

.posts recentes

. Pó vivo!

. As duas Casuarinas - Cont...

. As duas casuarinas

. Isso não importa

. Profecia Familiar - Bem q...

. Noticia de ultima hora - ...

. Tai

. Romantismo masculino/Toda...

. Ser inebriante portuga

. Quem tem uma Tia assim nã...

.arquivos

. Maio 2011

. Fevereiro 2011

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Julho 2006

Quarta-feira, 21 de Fevereiro de 2007

Mascaras

Armada em chica esperta,
Aproveitei o Carnaval para fazer auto-analise,

Dispensei o psicoterapeuta, era caro demais,

Mandei ao diabo que carregue o psicanalista, era lento demais,

Chamei a empreitada às minhas mãos,

Optei pela psicologia selvagem,

Deitei-me no sofá, de barriga para cima,

Coloquei velas para criar o ambiente certo, na esperança de me ver melhor à media luz,
Bombardeei-me com perguntas assaz pertinentes,

Desci à minha infância, trepei até à adolescência, deambulei na idade adulta,

Dissequei o complexo de Electra, o de superioridade, inferioridade, fui as falhas narcísicas, relembrei sonhos e pesadelos, marrei a sério nos paradigmas, fui buscar livros para me apoiar,

Quis chegar a conclusões redondas, ter insights poderosos, entender-me,
Espremi-me, analisei-me, torturei-me, contorci-me,
Vi-me de todos os prismas, de frente e em perfil, de dentro para fora, no espelho, de cabeça para baixo, de cima para baixo, em cambalhota, flique-flaque e de pino,
Foi metódica, comecei por ser cognitiva, segui o velhote Freud,
Depois perdi-me nas deambulações coloridas do alucinado Jung,

Por fim remei para terras mais firmes, rendi-me ao positivismo, estava almareada e tinha pressa,

Em desespero de causa recorri a conhecimentos paralelos, li as linhas da palma da minha mão, as da direita não são iguais às da esquerda, não ajudou,

Lancei o tarot de Marselha, saíram como cartas o louco, enforcado e a torre, fiquei na mesma,

Moída, irritada, furiosa, foi buscar um copo de Whisky e fiz um pouco de yoga aprendida na TV,

Tinha a esperança que ambos me abrissem o espírito,
Como não estou habitada nem ao alcool nem às artes orientais,
Fiquei com dores de cabeças e de coluna,

Considerei tomar 1 miligrama de xanax, socian também foi equacionado, optei por Brufen em pó (é de efeito mais rápido),
Apesar da quadra ser propicia, as mascaras não caíram,

Conclusão se calhar virei um cabeçudo e ainda não dei por isso, ou provavemente as mascaras e Eu já formamos um só.

Maria João F.

publicado por mulheresforadehoras às 12:19
link do post | favorito
Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 


.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Maio 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds