Um blog escrito por três mulheres, funciona como espaço para catarse, debate e exposição de pensamentos soltos.

.posts recentes

. Pó vivo!

. As duas Casuarinas - Cont...

. As duas casuarinas

. Isso não importa

. Profecia Familiar - Bem q...

. Noticia de ultima hora - ...

. Tai

. Romantismo masculino/Toda...

. Ser inebriante portuga

. Quem tem uma Tia assim nã...

.arquivos

. Maio 2011

. Fevereiro 2011

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Julho 2006

Terça-feira, 6 de Março de 2007

Poeta Proscrito

Estava eu pacatamente na minha vidinha quando me cruzei com um poema de Gastão Cruz: O fim do dia. Não o vou transcrever todo, pois é uma canseira tremenda e este blog não pretende ser punitivo.

Vamos ao que realmente interessa a uma determinada parte o poeta diz: “olhai-lhe o pénis hirto a mandíbula fria conta-lhe os nervos de ouro uma fêmea de fogo” depois desta descrição deveras promissora em que o dito cujo é glorificado ele continua desta feita acusando a tal mulher fogosa de maxilar gelado de viver “do seu frio do seu choro” e pasmasse “ vai ficando jovem enquanto ele se extingue” até que por fim o falo “ é um jovem que sangra” e a tarada “se transforma numa virgem magnífica”.

É obvio que este tonto hino ao falo, não é mais que um desculpa para culpabilizar a mulher pela ejaculação precoce do macho e Deus sabe como nós não temos culpa nenhuma desses desaires. Tal visão falo/centrica me deixou petrificada.

Como é possível alguém, mesmo em alucinação criativa, achar que uma mulher ganha alguns dividendos de tamanha situação embaraçosa.

Desta feita bano Gastão Cruz cenário de uma escrita que se quer igualitária e paritária e em nome das mulheres que já passaram por cenários penosos de sexo mal parado e tiveram que dizer com ar empático a frase paradigmática “não ligues isso por vezes acontece”, exigimos um pedido de desculpas imediato.

Maria João F.

publicado por mulheresforadehoras às 13:57
link do post | comentar | favorito
2 comentários:
De Gastão Cruz a 6 de Março de 2007 às 18:20
Pergunto-me... compreendeste mesmo o poema???
De TheEconomist a 6 de Março de 2007 às 19:04
Hoje estou numa de contestação ou de relativização,dependendo dos pontos de vista.

Não conheço o poema,mas dando de barato que tens razão, é uma tristeza. A regressão do pénis hirto para uma borbulha com sangue acompanhado de uma paralela regressão de uma maluca para uma catequista é ridícula.

Mas será isso suficiente para banir de todo a pessoa? Por muito que nos custe admitir, os artistas sejam eles literários,plásticos, musicais ou outros, não são muitas vezes pessoas esclarecidas e também eles são filhos do seu tempo.

O Kurt Weil ao que tudo indica, roubava ideias das suas mulheres e/ou amantes. O Céline era visceralmente anti-semita assim como o Wagner que também não nutria grandes simpatias por eles e deixou as bases para que o Nazismo adquirisse algo de fenómeno estético e cultural. O Howard Lovecraft que era um excelente escritor dotado de uma imaginação brilhante estava muito próximo do fascismo. O Ernst Junger também fazia a apologia, ainda que disfarçada, do militarismo alemão. E actualmente José Saramago defende regimes ditatoriais como o cubano e desculpa outros ainda piores como o extinto soviético. E Walker Griffith era um confesso segregacionista.

Serão estas razões suficientes para os banir do universo artístico? Talvez não. As obras, ainda que apresentem muitas vezes valores ou visões hoje tidos por errados ou descabidos, devem ser avaliadas pelo que são e a contradição delas com os nossos valores só nos faz bem porque apura o nosso sentido crítico e conhecimento dos contextos históricos.

Seja como for, realmente, a parte citada é de uma idiotice gritante. Vê-se logo que o problema dele é falta de gajas.

Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Maio 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds