Um blog escrito por três mulheres, funciona como espaço para catarse, debate e exposição de pensamentos soltos.

.posts recentes

. Pó vivo!

. As duas Casuarinas - Cont...

. As duas casuarinas

. Isso não importa

. Profecia Familiar - Bem q...

. Noticia de ultima hora - ...

. Tai

. Romantismo masculino/Toda...

. Ser inebriante portuga

. Quem tem uma Tia assim nã...

.arquivos

. Maio 2011

. Fevereiro 2011

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Julho 2006

Quinta-feira, 4 de Setembro de 2008

Encharcada Convencional

Sentadas no café grão de café, tagarelávamos alegremente deliciando-nos com uma saborosa encharcada. A Dona do estabelecimento informou-nos com ar de roteiro turístico para pacóvias “esses doces convencionais são uma verdadeira delicia”. Com ar de gozo olhei para a Zélia e comentei “doces convencionais!!!”, ela desatou a rir e engasgou-se, ficando literalmente roxinha. Levantei-me em pânico e enquanto gritava “acudam-me…acudam-me!!!” com ar alucinado tentava por em marcha uma Manobra de Heimlich patética. Coloquei-me atrás da vítima convencional e, com os braços ao redor da cintura, com a mão fechada, fazia pressão no abdómen na esperança que o corpo estranho fosse expelido. A minha amiga levantou o braço, pensei deve ser o estertor final, o derradeiro Adeus. A seguir só me restava fazer-lhe uma incisão na garganta com uma caneta bick, tinha visto tal ideia peregrina numa série televisiva. O pessoal que observava o drama de bancada deduzia que estávamos numa representação teatral algo aparatosa, ou tal se inscrevia nos comportamentos veraneantes de pessoal da capital, que como é sabido não regula bem da tola por causa do stress, pelo tanto ninguém vinha em nosso socorro. Finalmente, e graças a Deus, a encharcada saltou-se podendo a minha amiga retomar as gargalhadas que tinha interrompido, dando a certeza ao publico que para nós olhava tipo Nacional Geographic, que sem duvida éramos doidinhas de todo.

 

Maria João

publicado por mulheresforadehoras às 14:31
link do post | favorito
Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 


.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Maio 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds